Share



O que muito hoje a humanidade necessita? Refletir...
Precisa buscar ajuda... Permitir-se intuir...
Encontrar caminhos para si e fazer-se companhia
Apoiar-se em Deus, dar créditos aos seus
Reencontrar-se com a VIDA e a POESIA.

É um convite a pensar, conversar
Meditar com palavras explícitas
Implícitas experiências do Coração
Dar mais um espaço à EMOÇÃO!
"...a POESIA é para comer, senhores..."


segunda-feira, maio 01, 2017

Usurpadores de luz... Existem?!



 "Não se deve subestimar a ilusão, 
que tem grande força;
também não devemos esquecer:
 o poder está ao alcance da mão,
em cada um de nós..."
(Valéria Milanês)


                  Assim como as respostas para quaisquer perguntas podem ser: 
sim, não, talvez...  Aqui também não é diferente...

                    Quanto mais nos apagamos (ou nos desconhecemos), ou nos permitirmos que nos apaguem, mais damos espaço para que isso ocorra... Com um Sim, Não ou Talvez. Dependendo mesmo é do viver, que é personalíssimo (e do agir, ou falta de ação, de decisão. E de repetição, inclusive). Em conjunto com o querer e o quanto damos 'terreno' para que algo seja em nosso ser mais até do que nós somos... (Um parêntese: Não é à toa: - "Amar ao próximo como a SI MESMO". Quem se exclui, desaparece, se apaga, permite uma inequação interior... Onde não pode muito, impotencializa-se... Onde não ama nem a si mesmo...). 
                   Relacionado, também, com algumas confusões de ser, não ser e de sentir,  no meio do caminho... E diretamente ligadas ao desequilíbrio de autoestima, aos enganos que podemos colecionar (até mesmo endeusar; ou, ainda, ignorá-los, tanto ou mais sobre o que existe ou já conhecemos na vida), sob forma de: status, títulos, convenções, injeções equivocadas ou aleatórias diretamente no ego, 'histórias e/ou conquistas' (padrões que condensam o tempo de viver em apenas um momento, como delimitação),  no mover da alma nossa de cada dia.
                       Além de termos olhos para ver, importante é a percepção: 
__nos percebermos em comunhão íntima, com a energia, o fluir, da vida, a buscar brilhar em nós a Luz do Discernimento, que dissipa todo engodo, ilusão, e para o fluir do desejo de sermos e encontrarmos em nosso viver o que genuinamente nos cabe, mas não nos limita, nem nos aprisiona; 
__o que tem a ver conosco simplesmente, sem tanta influência do que querem que enxerguemos no mundo e para o mundo, e conjuga promover anulação interior, a exclusão de nós mesmos. 
__E, para continuarmos nossa jornada, cumprimos nossa missão, mesmo com um gemido ou um suspiro, não deixando de querer...:
                        
Que o Poder da Criação 
nos proteja daqueles que...
"quase amam...
quase adoram...
quase cuidam...
quase cumprem...
quase consideram...
quase querem o nosso bem... 
Que quase..."
Amém!



A    f  i  m    d  e    s e    e  v  i  t  a  r...



"Traumatismo craniano.
Fruto de mergulhos profundos
Em pessoas rasas."
_Zack Magiezi,  "Causa Mortis"

                       ...Até porque essa profundidade não está relacionada com a grandeza de alguém (não sendo questão de talento, de poder ou não mensurar ou de desmerecer seja quem ou o que for), e sim como enxergamos determinada figura ou parâmetros em nossas vidas que, porventura, miniminize a 'nossa dimensão de ser',  ou que determine obrigação de apenas 'existir', segundo a conveniência de alguém.
                   Portanto, embora não seja algo que ocorra definitivamente - pois não há, na Terra, quem possa fazê-lo, uma vez que nossa luz é uma 'centelha do Divino' - a usurpação de luz, também conhecida como... 
um 'ópio emocional ou social', eleito(s) como única solução; 
a decretação (prisão) mental do que deve reluzir ou não em um ser ou no fluir de um povo; 
- a permissão a um grupo ou alguém para fazer de nós meras 'sombras'...
_______________ pode ocorrer por um tempo (ou um bom período de tempo).   Ou seja, para reflexão: em diversos aspectos, "aceitamos o amor que julgamos merecer"...                  
Nesse contexto, usurpadores de luz não só existem como se alimentam de torpores, extremismos de achismos,  prisão festejada, acomodação milimétrica (programação), cegueiras justificadas, experiências desinformadas, covardias confortáveis, certezas moldadas; de ações e emoções dormentes...

pois...


"Você pode cometer o mesmo erro várias vezes, 
mas a partir da segunda vez já não é um erro, 
e sim uma escolha."

E n t r e t a n t o...   Mesmo...


"Com escuridão plantada no coração,
escolhas repetidas,
 atitudes programadas...
Com enganos endeusados,
vícios de agir, mendicância de sentir, 
labirintos de momentos perdidos...
 Ainda há saída.
Assim como a semente 
que chega depois no caminho 
não é digna somente de espinhos
- e a vida a conduz -,
nem o mais profundo dos abismos
aprisiona a luz... "
(Valéria Milanês)
Amem!



_________________
Fonte imagens: Google imagens  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...