Share



O que muito hoje a humanidade necessita? Refletir...
Precisa buscar ajuda... Permitir-se intuir...
Encontrar caminhos para si e fazer-se companhia
Apoiar-se em Deus, dar créditos aos seus
Reencontrar-se com a VIDA e a POESIA.

É um convite a pensar, conversar
Meditar com palavras explícitas
Implícitas experiências do Coração
Dar mais um espaço à EMOÇÃO!
"...a POESIA é para comer, senhores..."


12/29/2010

À Cássia*

POESIA INTEGRANTE DO LIVRO:  
   “AS CARTAS QUE NUNCA MANDEI”






À Cássia*
*Carta à Cássia Eller, escrita em 14 de janeiro de 2002,  dias após seu falecimento.


Desassossegados quando se veem,
reconhecem-se...
Não tendo a menor importância
o quanto se conhecem...


Sinto ter te olhado
um pouco tarde demais.
Embora eu tenha te conhecido
tempos atrás...


Quando você se foi,
levou consigo uma parte minha...
Parte desassossegada,
que a muitos faz companhia.


Ainda hoje
ouço sua voz...
Escuto teu pedido de socorro.
Teu desassossego atroz.


Esse som está nas entrelinhas do seu canto.
Pranto, que sinto que não atendi
Não porque não quisesse atender,
mas porque não o entendi...


E o que me resta agora, com certeza...
É a dor e essa dupla tristeza
Não só por ter chegado sua hora
Porque sofreste até sua alma ir embora.

Eu queria ter vivido mais você...
E sua constante busca de liberdade.
Vigiado de perto sua vida
Vida de intranquilidade.
De muitas buscas e algumas felicidades...


Graças a Deus, não foi só isso...
Teve também momentos de diversão.
Encontrou a paixão e o carinho da Eugênia
O amor sincero do Chicão.


Muitos falam de você e como viveu.
Muitos mais... Em que circunstância faleceu.
Poucos se abalam... Calam...
Com o quanto que gemeu, chorou, sofreu...
  
Alguém disse que você...
“Era uma mulher que transitou
entre céus e infernos em busca do seu sonho... 
O sonho de cantar!”

Na verdade,
seu sonho era encontrar
a liberdade de seu próprio ser
Ou ser livre do seu angustiante querer

               ∞   ∞   ∞

Dois seres habitavam em seu ser
A Artista e a Mulher.
A que todos conheciam...
“Pra o que der e vier”
E a outra, que ninguém imaginava
Poucos sabiam o que você,
dentro de si mesma, sonhava.


Uma parte de você,
queria viver...
Viveu para cantar!
Amar... Sem se importar
com o que diziam
Ou alguém ainda insistia em dizer

A outra,  queria encontrar
(muitas vezes não encontrou)
um motivo para andar,
viver e deixar viver
Sair do risco do giz
E tudo o mais para ser feliz    

Cássia Eller, Cássia Rejane...
Que muitas vezes entrou em pane.
Viveu no limite do que se “pode fazer”
E o que se quer...
mas, nunca, nunca,
Deixou de ter a alma de mulher

Cássia rebelde, Cássia coragem
Cássia tímida e sua sina....
Mesmo com toda malandragem,
às vezes, língua ferina,
comportamento polêmico
Não deixou de ser menina

             ∞   ∞   ∞                    (Valéria Milanês)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------
--------------------------------------------------------------------------------------------------------
* POESIA "À_CÁSSIA"  NA ÍNTEGRA
    - Pode ser encontrada no LIVRO "AS CARTAS QUE NUNCA MANDEI" 
    Editora  SCORTECCI                                                                                                                                            
* *  Foto: Luciana De Francesco  -  Livro Vozes do Brasil – Patrícia Palumbo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...